Agosto Dourado – Um ato de Amor

Iniciamos mais um mês de campanha, conhecido como Agosto Dourado, porque simboliza a luta pelo incentivo à amamentação. A cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno.  São trinta dias, em que são celebrados a promoção, a proteção e o apoio ao aleitamento.

Há cerca de vinte anos, entre os dias 1º e 7 de agosto acontecem ações, no mundo todo, em prol da amamentação que buscam promover o aleitamento exclusivo até o sexto mês de vida, se estendendo até os dois anos ou mais. A Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) faz parte de uma história focada na sobrevivência, proteção e desenvolvimento da criança. Atualmente, é considerada um veículo que promove o aleitamento em 120 países.

O aleitamento materno também é capaz de reduzir em até 13% a mortalidade de crianças menores de 5 anos, decorrente de causas evitáveis, visto que ele ajuda a prevenir casos de diarreia, infecções respiratórias, doenças como diabetes, colesterol alto e até obesidade.

Amamentação e Covid-19

Segundo publicação de mensagem de alerta emitido pelo Departamento Científico de Aleitamento Materno em tempos de Covid -19 da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) em maio deste ano, foi ratificado que não há comprovação de contaminação por meio do leite materno.

” …até o momento não há comprovação irrefutável de transmissão vertical durante a gestação ou através do aleitamento materno. A afirmativa tem como base a conclusão do estudo divulgado recentemente e ainda em pré-aprovação – MedRxiv.”

Mas mesmo assim, chama a atenção quanto aos procedimentos do momento do nascimento até a alta hospitalar. Com isso, a SBP relaciona alguns cuidados que devem ser tomados durante esse período. 

“Entretanto, apesar de não ter sido comprovada a transmissão vertical, a contaminação pode ocorrer durante os procedimentos do nascimento e todos os cuidados devem ser tomados no sentido de proteção da parturiente, do concepto e da equipe de saúde presente em relação ao COVID-19”…

Como exemplo, a utilização de incubadoras ao invés de berços e uso de cortinas entre o recém-nascido e a mãe. Desta forma evita-se que gotículas respiratórias possam causar alguma contaminação.

Além de lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos antes e depois de tocar o bebe, usar mascara facial, evitar que o bebe toque no rosto da mãe, principalmente na boca e nariz e ainda nas situações em que a suspeita ou confirmadas de Covid-19, os cuidados com o bebe devem ser realizados por outra pessoa que não tenha sintomas.

Acesse o link e saiba mais: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/22467f-NA_-_AleitMat_tempos_COVID-19-_na_matern_e_apos_alta.pdf

 

Fonte: https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/nao-ha-comprovacoes-de-transmissao-vertical-da-covid-19-durante-gestacao-ou-amamentacao-afirmam-pediatras/

https://www.fadc.org.br/noticias/aleitamento-materno

0 Comentários

Ainda não há comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back to top