Pró Gestão

Campanha Setembro Amarelo

Setembro Amarelo, começou nos EUA, quando o jovem Mike Emme, de 17 anos, cometeu suicídio, em 1994. Mike era um rapaz muito habilidoso e restaurou um automóvel Mustang 68, pintando-o de amarelo. Em consequência dessa triste história, foi escolhido como símbolo da luta contra o suicídio, o laço amarelo.

O principal objetivo da campanha Setembro Amarelo é a conscientização sobre a prevenção do suicídio, buscando alertar a população a respeito da realidade da prática no Brasil e no mundo. 

Procure ajuda. Conversa e não tenha medo ou vergonha. 

Cuidar da saúde mental é muito importante!

Fonte: https://www.setembroamarelo.com/

Campanha Agosto Dourado – Amamentar é amar.

Agosto é o mês de conscientização do aleitamento materno.

Segundo a OMS-Organização Mundial de Saúde é recomendado o aleitamento materno até os 2 anos ou mais e exclusivo até os primeiros seis meses de vida.

São muitos os benefícios,  é uma a estratégia isolada que mais previne mortes infantis, além de promover a saúde física, mental e psíquica da criança e da mulher que amamenta. 

Classificação de amamentação:

Sua classificação é definida em: AM livre demanda, AM exclusivo,  AM complementar e AM suplementado.

AM exclusivo – aleitamento materno exclusivo quando ela recebe somente leite de peito, diretamente da sua mãe ou ama-de-leite

AM livre demanda – A livre demanda nada mais é oferecer o peito toda vez que o bebê pedir. Isso significa que quando o bebê apresentar algum sinal de fome, você pode e deve oferecer o peito.

AM complementar – É quando a criança recebe, além do leite materno, qualquer alimento sólido ou semi-sólido com a finalidade de complementá-lo, e não de substituí-lo.

AM suplementado – Os suplementos tipo whey protein são proteínas processadas do leite de vaca, podendo ser utilizados na gestação caso haja a necessidade de suplementação proteica.

Amamentar é amar.

Campanha Junho Vermelho

O Junho Vermelho é comemorado em todo o país, que ocorre em 14 de junho. A proposta é sensibilizar as pessoas sobre a importância do movimento de doação sanguínea, essencial para pacientes que dependem da transfusão de sangue para sobreviver.

Podem doar sangue pessoas entre 16 e 69 anos e que estejam pesando mais de 50kg. Além disso, é preciso apresentar documento oficial com foto e menores de 18 anos só podem doar com consentimento formal dos responsáveis.

Você não poderá doar sangue se:

  • » tiver idade inferior a 16 anos ou superior a 69 anos.
    Obs.: o limite superior para a primeira doação é 60 anos. Quem tem 61 anos ou mais e nunca doou está inapto. 

  • » tiver peso inferior a 50 quilos.

  • » estiver com anemia no teste realizado imediatamente antes da doação.

  • » estiver com hipertensão ou hipotensão arterial no momento da doação.

  • » estiver com aumento ou diminuição dos batimentos cardíacos no momento da doação.

  • » estiver com febre no dia da doação.

  • » estiver grávida.

  • » estiver amamentando, a menos que o parto tenha ocorrido há mais de 12 meses.

obs.: o doador não poderá doar se vier acompanhado de crianças menores de 13 anos sem a presença de um outro adulto para cuidar delas.

Você estará impedido de doar sangue:

  • 1. por 48 horas:

    • » se recebeu vacina preparada com vírus ou bactéria mortos, toxóide ou recombinantes. Ex.: cólera, poliomielite (salk), difteria, tétano, febre tifóide (injetável), meningite, coqueluche, pneumococo.

    • » se recebeu vacina contra gripe.

  • 2. por sete dias:

    • » se teve diarreia.

    • » após terminarem os sintomas de gripe ou resfriado.

    • » após a cura de conjuntivite.

    • » extração dentária (verificar uso de mediação).

    • » tratamento de canal (verificar medicação).

  • 3. por duas semanas:

    • » após o término do tratamento de infecções bacterianas (uso de antibióticos).

    • » após a cura de rubéola.

    • » após a cura de erisipela.

  • 4. por três semanas:

    • » após a cura de caxumba.

    • » após a cura de varicela (catapora).

  • 5. por quatro semanas:

    • » se recebeu vacina de vírus ou bactérias vivos e atenuados. Ex.: poliomielite oral (sabin), febre tifóide oral, caxumba, febre amarela, sarampo, bcg, rubéola, catapora, varíola, etc.

    • » se recebeu soro antitetânico.

    • » após a cura de dengue.

    • » cirurgia odontológica com anestesia geral.

    • » após o retorno, quem esteve em região onde há surto de Febre Amarela.

  • 6. por oito semanas (somente para homens):

    • » após uma doação de sangue. Esse período deve ser ampliado para 16 semanas se houve doação dupla de hemácias por aférese.

  • 7. por 12 semanas (somente para mulheres):

    • » após uma doação de sangue (para mulheres). Esse período deve ser ampliado para 24 semanas se houve doação dupla de hemácias por aférese.

    • » após parto normal ou abortamento.

  • 8. por três meses (independente se homem ou mulher):

    • » se foi submetido a apendicectomia.

    • » se foi submetido a hemorroidectomia.

    • » se foi submetido a hernioplastia.

    • » se foi submetido a ressecção de varizes.

    • » se foi submetido a amigdalectomia.

  • 9. por seis meses a 01 ano:

    • » se foi submetido a uma cirurgia de médio ou grande porte como por exemplo: colecistectomia, histerectomia, tireoidectomia, colectomia, esplenectomia pós trauma, nefrectomia, etc.

    • » após a cura de toxoplasmose comprovada laboratorialmente.

    • » qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia, etc.): aguardar 6 meses.
      » se fez piercing (se piercing na cavidade oral ou genital, devido ao risco permanente de infecção, implica em inaptidão por 12 meses após a retirada).

    • » se contraiu Febre Amarela; aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial).

  • 10. por 12 meses:

    • » se recebeu uma transfusão de sangue, plasma, plaquetas ou hemoderivados.

    • » se recebeu enxerto de pele.

    • » se sofreu acidente se contaminando com sangue de outra pessoa.

    • » se teve acidente com agulha já utilizada por outra pessoa.

    • » se teve contato sexual com alguma pessoa com aids ou com teste positivo para hiv.

    • » se teve contato sexual em troca de dinheiro ou de drogas ou seus respectivos parceiros sexuais;

    • » se teve contato sexual com usuário de droga endovenosa.

    • » se teve contato sexual com pessoa que tenha recebido transfusão de sangue nos últimos 12 meses.

    • » se teve relação sexual com pessoa com hepatite.

    • » se fez tatuagem, maquiagem definitiva ou micropigmentação (sobrancelhas, lábios, etc.).

    • » se teve sífilis ou gonorréia.

    • » se foi detido por mais de 72 horas.

  • 11. por cinco anos:

    • » após a cura de tuberculose pulmonar.

  • 12. você nunca poderá ser doador de sangue se:

    • » tem ou teve um teste positivo para hiv.

    • » teve hepatite após os 10 anos de idade.

    • » já teve malária.

    • » tem doença de chagas.

    • » recebeu enxerto de duramater.

    • » teve algum tipo de câncer, incluindo leucemia.

    • » tem graves problemas no pulmão, coração, rins ou fígado.

    • » tem problema de coagulação de sangue.

    • » é diabético com complicações vasculares ou em uso de insulina.

    • » teve tuberculose extra-pulmonar.

    • » já teve elefantíase.

    • » já teve hanseníase.

    • » já teve calazar (leishmaniose visceral).

    • » já teve leishmaniose tegumentar ou cutânea.

    • » já teve brucelose.
      » já teve esquistossomose hepatoesplênica

    • » tem alguma doença que gere inimputabilidade jurídica.

    • » foi submetido a transplante de órgãos ou de medula.
      » tem Mal de Parkinson.

Fonte: http://www.prosangue.sp.gov.br/

Novos membros são certificados pela APIMEC

Na última semana de maio, a Diretora executiva do Mutumprev, Terezinha Arissava realizou a entrega dos certificados de aprovação aos novos membros dos Conselhos Curador e Fiscal e ainda do Comitê de Investimentos.

Os novos membros realizaram o curso no inicio de 2021 junto a empresa Mais Valia Educação, representada pelo economista Ronaldo Borges. Logo em seguida as provas foram agendadas e realizadas com êxito.

A certificação é realizada pela APIMEC – Associação dos Analistas e Profissionais de Investimentos do Mercado de Capitais, ou seja, é a confederação das Apimecs e concentra suas atividades na certificação dos profissionais, representação política institucional frente ao governo e entidades representativas congêneres do mercado, no intercâmbio internacional com outras confederações de profissionais.

Para a provação é necessário um aproveitamento de pelo menos 50%(cinquenta por cento) das questões, o que foi tirado de letra por todos os membros.

Com o certificado de CGRPPS – Certificação de Gestores de Regime Próprio de Previdência Social o Mutumprev mantem sua qualidade em profissionais qualificados para representarem sua previdência e ficarem sempre a frente das informações do Mutumprev.

Abril Azul – Conscientização do Dia do Autismo

O que é o autismo?

O autismo é um transtorno comportamental e, desse modo, não afeta o desenvolvimento físico.

Antes, o autismo era classificado em cinco categorias distintas, de acordo com o grau da deficiência e as características comportamentais. Essa antiga divisão englobava desde a síndrome de Asperger (grau mais leve) até o espectro mais grave.

Porém, o acesso dos profissionais a novas informações sobre esse transtorno favoreceu a identificação diagnóstica e a adoção de condutas mais efetivas. Com mais esclarecimento, houve a necessidade de alterar a classificação.

Tais modificações objetivaram identificar o autismo e classificá-lo segundo a gravidade dos sintomas, facilitar a avaliação diagnóstica e direcionar o tratamento para terapias mais eficazes.

Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS), estabeleceu uma classificação única, mais abrangente e com níveis distintos de funcionalidade. Assim, as modalidades do distúrbio foram inseridas em um protótipo conhecido como Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Quais as características mais marcantes do autismo?

Em todas as etapas da vida, o TEA apresenta características marcantes e que auxilia na identificação diagnóstica. A percepção desses elementos tipicamente autistas é fundamental ao direcionamento da intervenção terapêutica.

Listamos algumas dessas características. Confira!

  • maior sensibilidade dos sentidos: visão, audição, tato e paladar excessivamente sensíveis;
  • crises excessivas de raiva, acompanhada ou não de agressividade;
  • não responde a contato visual, gestos corporais ou sorrisos;
  • apresenta hiperatividade ou é muito passivo e isolado;
  • executa constantes movimentos corporais repetitivos;
  • tem necessidade de intensa repetição de atividades;
  • baixa capacidade de concentração ou de atenção;
  • foco em um único assunto ou atividade;
  • não participa de jogos interativos;
  • não aceita mudança na rotina;
  • dificuldade para fazer amigos;
  • demonstra falta de empatia;
  • apego anormal aos objetos;
  • isolamento social.

Como identificar esse transtorno?

Dada à complexidade desse transtorno, a confirmação do diagnóstico de autismo é encarada pelos pais ou responsáveis como um desafio. Pode, inclusive, ser comparado a uma viagem rumo a um universo desconhecido.

Porém, há muitas possibilidades de atenuar os sintomas e de minimizar o impacto deles, desde que se busque ajuda especializada o quanto antes. O conhecimento sobre o TEA também é relevante.

Uma das medidas mais relevantes para despertar atenção sobre a importância de saber conviver com os autistas é a criação do abril azul. Durante todo esse mês, diversas instituições promoverão palestras e ações focadas no TEA.

Como parte dessa campanha de conscientização, aprenda, agora, a identificar os sinais clássicos do autismo em diferentes fases da vida. Confira!

Em bebês

Normalmente, a amamentação é considerada um ato de aproximação e de carinho entre mãe e filho. Entretanto, um bebê autista pode não fixar os olhos na mãe e ignorar, por completo, as tentativas de troca de afeto.

Outro comportamento típico é em relação ao não estranhamento do colo de outras pessoas. Geralmente, bebês com idade entre 3 a 24 meses costumam recusar o colo de estranhos.

Porém, uma das características do autismo é fazer com que o bebê não se importe com as diferentes ofertas de colo. Ele se sente igualmente confortável, é indiferente ao distanciamento dos pais e aceita facilmente o colo de pessoas estranhas.

Nesses casos, a atenção dos pais a esses sinais é imprescindível. Notar essas diferenças comportamentais e relatar ao médico esse histórico ajudam a direcionar o diagnóstico.

Na idade escolar

Nos primeiros anos da fase escolar, os sintomas do autismo são mais evidentes. Entre os mais perceptíveis estão a ausência de comunicação, uma surdez aparente, o foco em determinados objetos e a realização constante de movimentos pendulares estereotipados.

Geralmente, as crianças com autismo costumam balançar o tronco e a cabeça para frente e para trás. Há também dificuldades com a linguagem verbal, de sociabilização, além do clássico comportamento repetitivo.

Em adultos

Muitos adultos que tiveram diagnóstico tardio de TEA, mas se submeteram à terapia, conseguem conviver bem com o transtorno. Ainda que não exista cura definitiva para o autismo, muitos pacientes têm melhora significativa e conseguem levar uma vida autônoma.

Em autistas adultos, os caracteres são bem semelhantes aos percebidos na infância. A diferença é que a maturidade e a autonomia em relação ao padrão comportamental favorece o controle dos sintomas.

Vale destacar que a tríade — dificuldade de interação social, de comunicação oral ou corporal e padrões de comportamento repetitivo — são os marcadores dessa síndrome em qualquer idade. Porém, o modo como essas dificuldades são trabalhadas determinam o sucesso do tratamento.

Como é o tratamento para o autismo?

O transtorno do autismo ainda não pode ser restaurado, porém, existem amplas alternativas de minimizar os efeitos desse distúrbio.

A intervenção terapêutica possibilita melhoria considerável nas habilidades sociais e comunicativas dos portadores de TEA. A recomendação é que o tratamento seja realizado o quanto antes.

Promover medidas terapêuticas com vistas à redução dos sinais do autismo é essencial ao suporte necessário ao desenvolvimento e aprendizado escolar.

No entanto, a escolha de uma instituição especializada em tratamento mental é determinante para alcançar êxito no tratamento do autismo. O suporte de uma equipe multiprofissional experiente é primordial para direcionar a atenção às necessidades específicas da criança.

Confira, agora, quais as terapias disponíveis para o tratamento do TEA:

  • terapia do discurso: objetiva auxiliar os processo de fala e de linguagem corporal;
  • terapias específicas de comunicação e de comportamento;
  • terapia ocupacional;
  • atividades lúdicas;
  • medicamentos;
  • fisioterapia.

 

Fonte: https://hospitalsantamonica.com.br/

Comitê de Estudos do R.P.C. realizam reunião com representantes do BB Previdência

Na última sexta-feira (19), o membros do Comitê de Estudo do Regime de Previdência Complementar  – R. P. C. realizaram  reunião por vídeo conferência com os representantes do Banco Brasil Previdência e os RPPS’s dos municípios de  Nova Mutum(Mutumprev), Lucas do Rio Verde (PrevLucas), Sorriso(Previso) e Sinop(PreviSinop) para conhecerem as entidades fechadas de previdência complementar já existente ofertado pelo BBPrev. Entre os assuntos abordados, foi discutido a estrutura organizacional, formas de funcionamento, sistemas, serviços e custos administrativos.

O Comitê de Estudos do R.P.C. de Nova Mutum é formado por representantes dos Poderes Legislativo, Executivo e Autarquias. Sendo sua composição;  Roberto Hilário e Edna Bonetti (Representante da Prefeitura), Diob Lima (Representante da Câmara), Marcio Silva (Representante do Saae) e Antonio Otalivio (Representante do Mutumprev).

A necessidade da formação deste Comitê surgiu após a publicação da Emenda Constitucional n° 103/ de 19 de novembro de 2019 que trouxe, entre diversas mudanças, a implementação da previdência complementar para todos os regimes próprios de previdência social, conforme Art. 9º, § 6º .

Veja o texto na íntegra: https://www.gov.br/previdencia/pt-br/assuntos/previdencia-no-servico-publico/legislacao-dos-rpps/aplicacao-da-emenda-constitucional-no-103-de-2019-aos-rpps

Durante o ano de 2020 iniciamos os primeiros passos, mesmo diante as dificuldades da pandemia. Continuamos nesse ano a trabalhar cada vez mais no tema. Temos muitas etapas para concluir, e mesmo correndo contra o tempo, buscamos aprofundar nossos conhecimentos para seja realizado todos os procedimentos devidamente conforme demanda. – Roberto Bento Hilário (Membro e Controlador Interno do município de Nova Mutum).

Galeria de fotos: Imagens Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Nova Mutum.

Mutumprev realiza curso de certificação aos novos membros dos Conselhos e Comitê do RPPS.

Nesta última semana de fevereiro, entre os dias 08 a 11, os novos membros dos Conselhos Fiscal e Curador e ainda do Comitê de Investimentos participaram do Curso de preparação para certificação junto a Associação dos Analistas e profissionais de Investimentos do Mercado de Capitais – APIMEC o qual é responsável pela emissão do certificado CGRPPS- Certificado de Gestão dos regimes Próprios de Previdência Social.

O curso foi ministrado pelo consultor e economista Ronaldo Borges da Mais Valia – Educação Financeira  e consistiu, entre outros, aprendizado básico referente aos investimentos financeiros, instituições financeiras e de mercado, como Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais – AMBIMA e Comissão de Valores Mobiliários – CVM.

O profissional também fez parte da primeira turma a se qualificar e certificar (2018), onde obtivemos um ótimo aproveitamento nas aprovações. Serão 11 novos membros a realizar a prova para certificação CGRPPS 2021.

Devido a pandemia do Covid-19 e suas restrições que teve inicio no ano de 2020, não foi possível a realização do curso aos novos membros que tomaram posse em 2019 após eleição realizada pelo Mutumprev.

Respeitando e seguindo as orientações dos órgãos de saúde, o Curso foi realizado a distância, a sala devidamente higienizada, uso de mascara obrigatório, disponibilidade de álcool 70%, bem como os materiais didáticos de uso individual.

A Diretora Executiva, Sra. Terezinha Arissava e sua equipe técnica agradece o comprometimento de todos envolvidos.

” É necessário o envolvimento de todos para que o Mutumprev possa continuar a evoluir com responsabilidade e comprometimento. Estão todos de parabéns e ficamos gratos por esses dias de empenho e aprendizado.” 

Fevereiro Roxo – Prevenir faz toda diferença.

ALZHEIMER – A longevidade alcançada, nas últimas décadas, evidenciou uma doença descoberta em 1906, o Alzheimer, que, geralmente, se manifesta a partir dos 60 anos de idade. Ela provoca perda da capacidade cognitiva, da memória e demência. Destrói as funções do cérebro e não tem cura. A doença possui as fases leve, moderada e grave. O comprometimento funcional é o que determina em qual delas o paciente está inserido. Na fase leve, geralmente quando a medicação é adotada, ele leva uma vida praticamente normal e o esquecimento não chega a ser empecilho para as atividades corriqueiras.

A causa é desconhecida, mas acredita-se que seja geneticamente determinada em 10% dos casos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o Alzheimer afeta cerca de 35,6 milhões de pessoas em todo o mundo, número que deve dobrar em 2030. No Brasil, o cálculo da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz) é de que 1,2 milhão já sofram os efeitos da neurodegeneração.

Para prevenir o desenvolvimento da demência é necessário adotar hábitos de vida saudáveis, que devem ser praticados ao longo da existência, como o controle de doenças prévias (hipertensão, diabetes, obesidade); combate ao sedentarismo, com a prática de atividade física regular; evitar o tabagismo; e praticar ações que estimulem a memória, como leitura e realização de novas tarefas.

LÚPUS – Considerada uma doença inflamatória autoimune, o lúpus ocorre quando o próprio sistema imunológico ataca tecidos saudáveis do corpo por engano. O nome científico é “Lúpus Eritematoso Sistêmico” (LES) e pode afetar diversos órgãos e tecidos do corpo, como pele, articulações, rins e cérebro. Em casos mais graves, especialmente se não for tratado adequadamente, pode levar à morte.

Ainda não se sabe, ao certo, qual a sua causa, nem o que faz com que o sistema imunológico se volte contra os tecidos saudáveis do corpo. Entretanto, estudos indicam que as doenças autoimunes podem acontecer devido a uma combinação de fatores hormonais, infecciosos, genéticos e ambientais. Pode ocorrer em pessoas de qualquer idade e sexo, principalmente, entre 20 e 45 anos.

Normalmente, a pessoa descobre que tem lúpus após uma crise desencadeada por algum desses fatores: exposição à luz solar de forma inadequada e em horários inapropriados; infecções que podem iniciar o lúpus ou causar uma recaída da doença; uso de alguns antibióticos e de medicamentos usados para controlar convulsões e pressão alta.

A dica é ficar bem atento aos sintomas da doença. “O que mais chama atenção é o aumento da sensibilidade da pele ao sol, vermelhidão em áreas expostas à luz solar, assim como o aparecimento de manchas e placas vermelhas pelo corpo”, informa o RTD de Reumatologia.

FIBROMIALGIA – A fibromialgia é uma doença reumatológica, que acomete por volta de 3% da população brasileira, em sua maioria mulheres adultas, conforme dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR). A principal característica é o aparecimento de uma dor muscular crônica e generalizada, acompanhada de sintomas como fadiga, alterações de sono, memória e humor. Infelizmente, a medicina ainda não entende muito bem como a doença opera dentro do corpo humano. Sabe-se que, sem tratamento, ela pode evoluir para a incapacidade física e a limitação funcional, complicações com bastante impacto na qualidade de vida do paciente.

Com o tratamento adequado, que envolve tanto o uso de medicamentos quanto a prática de terapias, como fisioterapia e acupuntura, é possível que o paciente tenha uma grande melhora na qualidade de vida e possa viver normalmente.

Fonte: http://www.saude.df.gov.br/fevereiro-roxo-conscientiza-sobre-alzheimer-lupus-e-fibromialgia/

Campanha Janeiro Branco – A importância em cuidar da saúde mental.

A Campanha Janeiro Branco tem apenas sete anos de história. Foi implementada por um grupo de profissionais da saúde em Minas Gerais.

Segundo Organização Mundial de Saúde (OMS), em torno de 12 milhões de brasileiros sofrem de depressão. O número é equivalente a 5,8% da população, colocando o país em segundo lugar no ranking americano (atrás apenas dos Estados Unidos).
Estamos falando de uma doença mental que, segundo o estudo, pode alcançar de 20% a 25% das pessoas no Brasil. A ansiedade, por sua vez, afeta quase 20 milhões de brasileiros (cerca de 9,3% da população). Isso inclui o transtorno obsessivo-compulsivo, problemas de fobia,estresse pós-traumático e até mesmo ataques de pânico.
Já o suicídio é apontado pelo Ministério da Saúde como a quarta maior causa de mortes de jovens no país. São números expressivos e que, muitas vezes, ultrapassam outros indicadores relacionados à saúde e ao bem-estar da população.”

O maior objetivo é conscientizar e alertar a importância de cuidar dos problemas emocionais, o que gera grande impacto na sociedade, família e empresa. Quebrando tabus e informar a todos que não possui classe social que não possa sofrer com problemas emocionais.

O mais importante é a prevenção. A pratica de exercícios físicos, cuidados com a alimentação, uma boa leitura, um passeio no parque, curtir bons momentos com familiares e amigos, procurar ajuda com profissionais qualificados para evitar uma piora no quadro quando não estiver bem, faz com que todos possam ter uma boa vida emocional.

Fonte:https://saudenaempresa.sesirs.org.br/janeiro-branco/

Campanha Julho Amarelo – Conscientização, Prevenção e Controle das Hepatites Virais

Julho Amarelo

Julho é o mês da conscientização de hepatites virais. O mês foi escolhido pelo Ministério da Saúde e pelo Comitê Estadual de Hepatites Virais.

Curiosidade

A cor foi escolhida por ser o tom que os olhos dos infectados geralmente ficam quando a doença se manifesta, no fígado.

Você sabe o que é hepatite?

A hepatite é uma grave inflamação do fígado que atinge na maioria das vezes os homens. O Boletim Epidemiológico 2018 informa que os casos da doença são maiores em homens de 20 a 39 anos (Organização Mundial de Saúde).

Possui sinais de olhos e pele amarelados, cansaço, febre, mal-estar, tontura, vômitos, dor abdominal, urina escura e fezes claras. Muitas pessoas não sabem que estão infectadas e, além de não realizarem o devido tratamento acabam disseminando a doença. Por isso recomenda-se a realização do teste para hepatite C pelo menos uma vez na vida, com o objetivo de diagnosticar e tratar o mais precocemente.

Como são transmitidas?

As hepatites virais (especialmente A, B e C) podem ser transmitidas pela água e alimentos contaminados, de uma pessoa para outra por via sexual, por meio de fluidos corporais (compartilhar o mesmo barbeador, manicure, usuários de drogas, etc) e verticalmente, ou seja, da mãe para o filho, por isso a contaminação é bastante comum e a disseminação muito fácil e rápida.

Previna-se

A vacina é uma forma de prevenção contra as hepatites do tipo A e B. Quem se vacina para o tipo B, se protege também para hepatite D. Ainda não existe vacina para a hepatite C, porém o paciente pode realizar o tratamento cujo índice de cura é superior a 90%. Algumas medidas simples previnem a infecção, tais como:

– Usar preservativos;
– Exigir materiais descartáveis e esterilizados em estúdios de tatuagem, salões com manicures e pedicures;
– Não compartilhar agulhas e seringas;
– Manter exames de rotina em dia;
– Consultar um médico com frequência.

Fonte: https://www.amafresp.org.br/noticias/julho-amarelo-um-sinal-de-alerta-para-as-hepatites-virais/

Back to top